quarta-feira, 9 de março de 2011

Melhorar a precisão das medições GPS em tempo real - 1

A democratização que a tecnologia GPS conheceu nos úiltimos anos tornou os receptores GPS um equipamento acessível - por 200€ já é possível adquirir aparelhos que servem para a maioria das necessidades dos utilizadores. Os próximos posts abordarão formas de melhorar a precisão utilizando equipamentos de gama baixa.

As medições em tempo real devem seguir alguns cuidados de forma a garantir margens de erro aceitáveis (menos de 3m). As medições em tempo de real de objectos (árvores, sítios arqueológicos, sítios de interesse, áreas, etc) podem acarretar margens de erro muito grandes se algumas das origens de erro não forem atenuadas.

O sistema GPS assenta num princípio muito simples: o receptor GPS mede o tempo que os sinais de rádio emitidos pelos satélites levam a chegar ao receptor e a partir dai, por triangulação, calcula a posição do receptor. O problema é que os sinais de rádio podem sofrer distorções ao atravessar a atmosfera terrestre e, se estiveremos a trabalhar em zonas urbanas, no fundo de vales  apertados/desfiladeiros ou em meio florestal estaremos ainda sujeitos aos erros de reflectância - os sinais de rádio chegam em "segunda mão" ao receptor porque fazem "ricochete" nos objectos mais próximos.

A primeira coisa que temos de fazer para diminuir a margem de erro provocada por estes fenómenos é garantir acesso a um sistema de correcção diferencial ou DGPS. Há vários tipos de correcção diferencial, mas todos eles se passam pelo envio de um segundo sinal a partir do qual o receptor GPS calibra as medições dos sinais enviados pelos satélites GPS.


O sistema DGPS mais fácil de usar e mais comum é o SBAS -Satellite-based augmentation system que para o continente europeu está implementado através da rede EGNOS - European Geostationary Navigation Overlay Service. Em condições ideais permite medições com margens de erro inferior a 2m.

Quase todos os receptores de GPS de mão ou de "trecking" trabalham automaticamente com correcções diferenciais SBAS - se procura precisão, esta é uma característrica indispensável que importa assegurar na hora de comprar um GPS. Contudo é fundamental informar-se junto do fornecedor se o aparelho trabalha com correcções EGNOS ou apenas WAAS -Wide Area Augmentation System - que também é um sistema SBAS tal como o EGNOS, mas pensado para a América do Norte, pelo que não tratá vantagens a um utilizador europeu.

Há ainda mais dois aspectos que importa considerar se quereremos assegurar o máximo de precisão com um equipamento de gama baixa - a geometria dos satélites  (índices DOP) e o número de satélites visíveis - tema do próximo post.

2 comentários:

  1. Obrigada pela partilha e parabéns pelo título do blog: muito bem conseguido, sim senhor!

    ResponderEliminar